Alunos do Peretz lançam aplicativo no Memorial da Resistência

DSCN12651Os alunos do 9° ano do Colégio I. L. Peretz lançaram um aplicativo para celular “Ditadura na Memória” sobre o período da Ditadura Militar no Brasil, no Memorial da Resistência, no bairro da Luz, em São Paulo.

Para celebrar a inauguração, algumas personalidades reconhecidas por sua militância estavam presentes, entre elas Margarida Genevois, ex-presidente da Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo e grande nome na defesa dos Direitos Humanos, Maurice Politi, ex-preso político e membro do Núcleo Memória, Nemércio Nogueira, diretor fundador do Instituto Vladimir Herzog, que tem como missão contribuir para a reflexão e produção da informação que garanta o direito à justiça e à vida. Além deles, Caroline Menezes da área de Educação do Memorial da Resistência, e Melanie Grun, coordenadora da área de Ciências Humanas do Colégio estavam na bancada.

O projeto Ditadura na Memória busca em suas atividades uma análise do período da Ditadura Civil-Militar e conta com propostas variadas atividades nas aulas de Artes, Geografia, História e Português, que, durante o desenvolvimento, foram reunidas em onze aplicativos e, por fim, em um único app.

Para Margarida Genevois, a iniciativa dos jovens é importante, pois contribuirá para a vida política da sociedade. “Vocês têm uma responsabilidade enorme de trabalhar para uma sociedade mais justa e democrática. Parabéns pelo belíssimo trabalho de pesquisa e produção desse aplicativo”, comentou.

Os alunos, divididos em grupos, apresentaram para todos os presentes cada funcionalidade do aplicativo que permite uma visão ampla do Período Militar ao trazer informações do contexto histórico, político e cultural da época e, ainda, partes lúdicas como o jogo da memória.

Ao final, os alunos receberam as saudações e cumprimentos dos  membros da bancada e foram bastante aplaudidos por todos.

Anúncios

Agenda do dia

  • Encontro de Despedida anual – Homenagem às Chaverot, às 17h, na Na’amat Pioneiras SP. Tarde festiva e dedicada às voluntárias. Info: 3667-5247.
  • Já está em cartaz no Memorial da América Latina a exposição “Testemunhos – Gershon Knispel”. Um dos mais importantes pintores vivos de Israel, Gershon Knispel tematiza o Holocausto, a luta contra as ditaduras latino-americanas e a resistência à gana das potências ocidentais. Grátis. Até 5 de janeiro.

 

Agência Judaica leva jovens judeus para trabalho voluntário em comunidades vulneráveis

1386246870-Ag_JudaicaO Projeto TEN da Agência Judaica ajuda comunidades carentes na Etiópia, Índia, México e Israel, por meio do trabalho voluntário de jovens judeus do mundo inteiro.  “Ten” significa “dê”, em hebraico.

O projeto destaca os valores judaicos de Tikun Olam [reparar o mundo, em hebraico], unindo desenvolvimento sustentável, justiça social e liderança.

Estão abertas as inscrições para jovens entre 20 e 30 anos de idade, que possam viajar para o exterior por um período de três meses e sejam capazes de se comunicar em um segundo idioma.

O preço é de 10 a 15 dólares por dia, incluindo estadia, alimentação, transporte para os locais de trabalho e passeios em grupo. Não estão incluídos passagem aérea e seguro médico.

Informações e inscrições: via esther@agenciajudaica.com.br e no  site do projeto.

Show de Yaakov Shwekey, em prol do Ten Yad, atrai 2 mil pessoas na Hebraica

No último dia 3, o Ten Yad e a Hebraica apresentaram, no Centro Cívico Itzhak Rabin, um show de Yaacov Shwekey para celebrar Chanuká. A apresentação única teve os ingressos esgotados e toda a renda arrecadada será revertida aos projetos assistenciais do Ten Yad, entidade que reúne programas de segurança alimentar e inclusão social.

Antes do show, Abramo Douek, presidente da Hebraica, Peter Weiss, presidente do conselho da Hebraica, Moisés Nigri, presidente do Ten Yad e Sasson Dayan, patrono de honra da noite e presidente do Banco Daycoval acenderam a sétima vela de Chanuká.  A abertura do show foi feita pelo coral da Escola Beit Yacoov e pelo cantor brasileiro Micha Gamerman.

Shwekey apresentou cerca de dez canções, entre elas o sucesso “Cry no more” e “Vehi Sheamdá”. O cantor, que já se apresentou outras vezes no Brasil, elogiou o trabalho do Ten Yad e dedicou suas canções aos assistidos e voluntários da entidade. Após o show do Centro Cívico, cerca de 300 jovens de movimentos juvenis de São Paulo, com o apoio da Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp), assistiram um exclusivo pocket show do cantor, na própria Hebraica.

Aos 36 anos, Yaacov Shwekey é um dos principais expoentes da música judaica da atualidade. Criado no Brooklyn, em Nova York, onde realizou seus estudos religiosos na Yeshivá do Brooklyn, Shwekey iniciou sua carreira em um coral de meninos. Seu primeiro álbum solo foi gravado em 2001 e rapidamente Shwekey começou a fazer shows por todo o mundo – desde apresentações pequenas, como casamentos, até grandes eventos.

Agenda do dia

  • O Hospital Israelita Albert Einstein inaugura nesta segunda-feira as instalações do novo Centro de Oncologia e Hematologia Família Dayan – Daycoval com a presença do Vice-presidente da República Michel Temer. Às 10h. Auditório Moise Safra. Av. Albert Einstein, 627 – entrada 1 – Morumbi. Após a abertura haverá visitação técnica. 
  • Já está em cartaz a exposição “Memórias Gravadas: a história de Ruth”, em homenagem à artista Ruth Sprung Tarasantchi, que completou 80 anos este ano. A exposição, que  segue até 17 de janeiro de 2014, apresenta 60 gravuras, que contam sua trajetória de vida, lembranças da infância e dos personagens familiares que povoam suas memórias, além de documentos, fotografias, objetos e os livros de sua autoria, . No Memorial da América Latina (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda – SP. Tel.: 3823-4600).

III Ciclo de palestras Sobreviventes do Holocausto emociona e surpreende plateia

Marcio Pitliuk, Rita Braun e Mario Fleck

Marcio Pitliuk, Rita Braun e Mario Fleck

O auditório de 60 lugares esteve sempre lotado, com pessoas de pé ou sentadas no chão. A maioria do público era não judeus e jovens. Vários professores de escolas públicas estavam presentes, alguns com alunos, e pediram para organizar eventos semelhantes nas escolas. Organizado e mediado por Marcio Pitliuk, o III Ciclo de palestras Sobreviventes do Holocausto foi realizado no auditório da Livraria da Vila do Shopping Higienópolis, todas as segundas-feiras de novembro.

Muitos participantes estavam presentes em todas as palestras, pois não queriam perder nenhum relato. Muitos surpresos ao saber que no Brasil haviam sobreviventes, e emocionadíssimos de poder conhecer e conversar com eles. Ouvir o relato de uma testemunha ocular, conversar com um sobrevivente, poder fazer perguntas a quem viveu na pele essa imensa dor, não é tão fácil para um não judeu. Esse é o objetivo do Ciclo de Palestras. Ao final, os sobreviventes eram tratados como celebridades, pois jovens e adultos queriam tirar fotos ao lado desses heróis.

Do lado dos sobreviventes, os relatos são sempre surpreendentes. Julio Gartner falou sobre sua vida e uma recente conversa telefônica com a neta bastarda de Amon Goeth. Nanette Konig relatou a participação dos holandeses no Holocausto. Michel Dymetman, preso na França, fez a plateia rir e chorar de emoção. Rita Braun contou com sua didática impecável os anos que passou escondida e detalhes da guerra. São relatos distintos, de países diversos, cada um com sua maneira de fazer palestras, mas todos envolvendo a plateia.

Loja Tufi Duek reverterá parte das vendas à WIZO

Uma maneira muito especial de festejar Chanuká. Em parceria com o grupo Tzehirot, da WIZO SP, a loja Tufi Duek, de Christiane Abrão, no Shopping Pátio Higienópolis, realizou um coquetel para anunciar que entre 28/11 e 28/12, parte das vendas  serão revertidas às ações sociais das entidades assistidas pela WIZO. Na foto, as chaverot com a proprietária da loja Christiane Abrão: Patricia Douer, Fani Rascovschi, Cynthia Kalili, Ana Tereza Bouqvar, Isa Mansur, Christiane Abrão, Helena Nasser, Cristina Peppi e Nava Politi.

grupo+organizadorwizo