A Hebraica recebe astro da música israelense para celebrar Grandes Festas Judaicas

Dudu- good picturePara comemorar a chegada de Rosh Hashaná, o Ano Novo Judaico, a  Hebraica está trazendo ao Brasil o tenor israelense Dudu Fisher.  Ele será o Chazan (cantor litúrgico) das Grandes Festas. Além disso, no  domingo, 08 de setembro, às 19h, se apresentará  no Teatro Arthur Rubinstein (de A Hebraica),  com o espetáculo  “Broadway in Concert”.

Dudu Fisher atuou por uma longa temporada na Broadway e em Londres, no musical “Les Miserables” no papel principal de Jean Valjean. Devido à sua condição de judeu observante, ele é o único artista israelense a trabalhar na Broadway e ter o privilégio de poder ser substituído no Shabat e em todos os feriados judaicos.

Com sua linda voz, sólido talento e carisma fez diversas apresentações ao  lado da Orquestra Filarmônica de Israel conduzida por Zubin Mehta, com a Filarmônica de Baltimore e com  Sinfônica de Londres, entre outras.

Apresentou-se para a Rainha da Inglaterra, à  Família Real da Tailândia, para o Presidente Clinton e para o Papa Bento 16, em sua histórica viagem a Israel em 2011.

Dudu Fisher  já gravou mais de 25 álbuns e vários musicais em DVD.

Ingressos para o “Broadway in Concert”: R$ 72,00 – Inteira (para não sócios)/ R$ 36,00 Sócios e meia entrada/ R$ 30,00 Para quem tem lugar nas Grandes Festas. Vendas e informações: (11) 3818-8888.

Diretores da Câmara Brasil Israel participam de agenda positiva no Rio Grande do Sul

ExpointerJayme Blay, presidente da Câmara Brasil Israel de Comércio e Indústria acompanhado da diretora executiva Adriana Finzi, viajou a Porto Alegre nos dias 28 e 29 de agosto. Eles  participaram  de uma  intensa programação organizada por Sandro Wainstein e Sebastian Watenberg, diretores da Câmara no Rio Grande do Sul,  que teve como objetivo oficializar o início das atividades da Câmara no Estado gaúcho, além de criar uma agenda positiva com lideranças locais. 

No dia 28, os diretores da Câmara  reuniram-se  com a equipe da Federação Israelita do Rio Grande do Sul, onde puderam  delinear o trabalho conjunto que pode ser feito entre as duas entidades. “Apresentamos o potencial de informações que a Câmara já dispõe por meio do trabalho acumulado ao longo de todos esses anos de atuação.  Assim,   consegue-se maior eficiência, sinergia e evita-se a superposição de esforços e o rendimento acaba sendo ideal para as duas entidades”, destacou Jayme Blay.

A agenda incluiu ainda visita a EXPOINTER (Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos  e  Produtos Agropecuários)  e ao stand do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul onde se reuniram com o presidente do BRDE. Ao final do dia visitaram a Rede Pampa de Comunicação e participaram de um jantar com formadores de opinião e representantes de empresas.

Um encontro  com lideranças empresarias locais, seguido de almoço com o empresário Sergio Maia, da Trust & Co Investimentos,  além de visita ao Jornal do Comércio,integraram a programação do dia 29, que foi finalizada após reunião com Mauro Knijnik da  Secretaria de Desenvolvimento, Promoção e Investimento (SDPI).

“A visita foi extremamente proveitosa. Tivemos a oportunidade de  apresentar o trabalho que está sendo feito pela Câmara Brasil Israel e também de ressaltar a presença dos diretores regionais,  que vão aprofundar as relações entre as empresas locais e Israel e traduzir o interesse que existe na participação intensa da Câmara local junto ao empresariado”, finalizou Blay.

Celso Lafer lança livro em São Paulo

foto_dentro17738_5A Editora Perspectiva lançou ontem (19/08) o livro Norberto Bobbio: trajetória e obra, de Celso Lafer, presidente da FAPESP. Apresentado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o livro reúne 16 textos sobre o filósofo italiano, publicados por Lafer entre 1980 e 2011, organizados em cinco partes: o perfil intelectual de Bobbio e suas contribuições para as relações internacionais, direitos humanos, inovação da reflexão jurídica e para a teoria política.

“Os campos do conhecimento a que Bobbio se dedicou foram aqueles aos quais consagrei minha vida de estudioso”, sublinhou Lafer na introdução do livro.

Lafer conheceu Bobbio pessoalmente em 1982, quando ele veio pela primeira vez ao Brasil para conferências na Universidade de Brasília (UnB) e na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). Foram amigos até a morte do filósofo, em janeiro de 2004, em uma relação intermediada por Michelangelo Bovero, sucessor de Bobbio na cátedra de Filosofia Política na Universidade de Turim, a quem Lafer dedica a obra e dá a palavra na contracapa do livro. “Foi com Bovero que discuti todos os textos que escrevi sobre Bobbio desde 1989”, ele conta.

Morto aos 94 anos, Bobbio foi um filósofo militante. Formou-se no período fascista, participou da Resistência – foi membro do Partido da Ação e preso duas vezes – e conheceu “o deletério significado da fúria dos extremos, voltados para a destruição da razão e da glorificação da violência, das quais o regime de Mussolini foi um dos emblemas”, escreve Lafer.

Socialista-liberal de esquerda, opôs-se à violência e aos riscos de seus desdobramentos na política, no Direito, na cultura e na sociedade que, segundo ele, enredava a humanidade num “labirinto de convivências coletivas”, cuja saída só seria iluminada pela razão.

Escreveu dezenas de livros, centenas de artigos e ensaios – “sua obra abrange mais de 5.000 títulos”, conta Lafer – nos quais inspecionou tragédias vividas pela humanidade no fato bélico, como afirmou Roberto Romano em resenha publicada em O Estado de S.Paulo, em 10 de agosto.

Dialogando com os clássicos – Aristóteles, Platão, Cícero e Hobbes –, sua obra tem como fios condutores o Estado de Direito, os direitos humanos, a democracia e a paz. “Iluminista-pessimista”, como o qualifica Lafer, Bobbio foi uma das consciências éticas do século 20.

Definia-se em uma frase, publicada no prefácio ao seu Italia civile: ritratti e testimonianze: “Aprendi a respeitar as ideias alheias, a deter-me diante do segredo de cada consciência, a compreender antes de discutir, a discutir antes de condenar.” E confessava detestar os fanáticos.

Estiveram presentes no lançamento, na Livraria Cultura, em São Paulo, Clóvis Carvalho, ex-ministro da Casa Civil e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Maílson da Nóbrega, ex-ministro da Fazenda, Raymundo Magliano Filho, ex-presidente da BM&FBovespa, Julio Abramczyk, médico e pioneiro do jornalismo científico no Brasil, Horácio Lafer Piva, membro do Conselho de Administração das Indústrias Klabin e conselheiro da FAPESP, Sergio Fausto, superintendente-executivo da Fundação Instituto Fernando Henrique Cardoso, os professores José Jobson de Andrade Arruda e Maria Arminda do Nascimento Arruda, da Universidade de São Paulo, o advogado Modesto Carvalhosa e Flavio Bierrenbach, ex-ministro do Superior Tribunal Militar.

Mais informações sobre o livro: www.editoraperspectiva.com

 

Charles Bronfman, co-fundador e chairman do Taglit Birthright Israel visita o Brasil

Na última semana, o filantropo Charles R. Bronfman, co-fundador e chairman do Taglit Birthright Israel, esteve em visita às capitais de São Paulo e Rio de Janeiro, para se encontrar com participantes do Programa, o board e lideranças da comunidade.

Em São Paulo, Bronfman esteve acompanhado por sua esposa Rita, Ada Spritzer, vice-presidente do Programa, e Denise Kassow, responsável pelo mesmo no Brasil. Seu primeiro compromisso foi reunir-se com o board e com um grupo de jovens, que relataram o quanto a participação deles no Taglit Birthright impactou em suas vidas, aproximando-os da vida judaica e reforçando sua identidade como judeu, inclusive, muitos por iniciativa deles mesmos fizeram o Bat e Bar Mitzvá neste ano, em uma iniciativa conjunta com a Congregação Beth-El. Outro fator interessante, e como eles se envolveram com a iniciativa, formando grupos de amigos, buscando organizar atividades em que mais jovens pudessem participar não apenas do programa, mas de uma vida judaica mais rica e plena.

No Rio de Janeiro, a programação foi semelhante e contou com uma visita ao Hillel. Bronfman, emocionado com os relatos e sucesso do Taglit  Birthright  no Brasil em seus 13 anos de existência, observou que é muito importante esse sentimento  demonstrado pelo jovem judeu independente da linha de observância que o mesmo segue, mas notou que, após irem para Israel pelo Taglit Birthright, a identificação e amor com nosso povo e com Israel o fazem crer que está no caminho certo.

O PROGRAMA

O Taglit-Birthright Israel é um programa que oferece a jovens da comunidade, entre 18 aos 26 anos, a oportunidade de vivenciar o país, ter um intercâmbio com jovens israelenses, ter contato com jovens de outras partes do mundo, conhecer suas raízes, fortalecendo a identidade judaica, o vínculo com Israel, e nesta jornada fazer novos amigos e muitas descobertas especiais!  Os resultados dos 13 anos do Programa são extraordinários e medidos pela Universidade Brandeis, há dados inclusive sobre o Brasil.

_MKA0139